Welwitschia mirabilis, Welwitschia bainesii - Cebola do Deserto, Tumboa, Onyanga (Uma das maiores maravilhas do Mundo)

SKU P-1022 Categoria

Nomenclatura botânica: Welwitschia mirabilis, Welwitschia bainesii
Nome comum: Cebola do Deserto, Tumboa, Onyanga (Uma das maiores maravilhas do Mundo)
Família: Welwitschiaceae
Origem: Deserto do Namibe na Namíbia, África
Altura: Ver descrição
Luminosidade: Pleno sol

R$ 118,90

Escolha abaixo quantas sementes por embalagem você deseja?

Limpar

Descrição

Fascinante, peculiar, estranha… Mas, surpreendentemente maravilhosa e porque não dizer, divina!

Espécie protegida por lei, uma oportunidade única para acrescentar a nossa coleção uma das plantas mais raras em cultivo do mundo; uma relíquia do período jurássico.

A planta do deserto Namibe, na África, é realmente única: ela consiste de apenas duas folhas e um caule com raízes. As folhas continuam a crescer indefinidamente, o caule engrossa, em vez de ficar mais alto, podendo chegar a dois metros de altura e oito metros de comprimento. Suas duas folhas permanentes são únicas no reino vegetal, as folhas permanecem as mesmas de quando a planta era apenas uma pequena muda, apenas continuam à crescer…Por até quem sabe 1500 anos de idade, ou até… Mais de 2000 anos de idade. Sim, sua vida útil é estimada entre 500 – 1.500 anos, embora alguns dos maiores espécimes são pensados para ter mais de 2.000 anos de idade. Seu crescimento ocorre anualmente durante os meses de verão.

Welwitschia mirabilis cresce em comunidades isoladas no deserto de Namibe, cerca de 1000 km ao longo da costa do rio de Kuiseb no centro de Namíbia, para Mossamedes, no sul de Angola.

Um pouco de história:
Welwitschia mirabilis foi descoberta pelo botânico, explorador e médico, Friedrich Welwitsch, em 1859 no deserto de Namibe. A história diz que ele ficou tão impressionado com seu achado que simplesmente caiu ajoelhado ao seu lado. Thomas Baines, renomado artista e viajante, também encontrou uma planta no leito seco do rio Swakop na namíbia em 1861. F. Welwitsch enviou o primeiro material de Welwitschia a sir. Joseph Dalton Hooker, diretor do Kew, em 1862. Hooker descreveu e nomeou em honra e homenagem de Welwitsch, apesar de ter recebido a recomendação de nomeá-la como Tumboa, seu nome nativo em angola.
O nome da espécie “mirabilis” significa maravilhoso; posteriormente foi alterado para Bainesii para homenagear os dois homens envolvidos em sua descoberta, embora “mirabilis” é o nome reconhecido hoje.

A espécie pode florescer em dois anos e seis meses em cultivo, a partir de sementes.

A primeira vista pareceu-nos que seria impossível seu cultivo, porém em pesquisa e troca de muitos e-mails com alguns colecionadores e grandes parceiros pelo mundo, verificamos que podem ser facilmente cultivadas, até mesmo em vasos ou em parapeitos de janelas ensolaradas, pátios, jardins e varandas por todo o brasil. Reunimos um excelente material relacionado ao seu cultivo e o mesmo será enviado junto com as sementes e seu manual para germinação, essa (germinação) bem simples, fácil e excelente taxa germinativa.