Nome:
E-mail:
Mensagem:
 
    Caso não tenha encontrado algum produto de seu interesse, por favor, informe no formulário abaixo.
     
Nome:
E-mail:
Produtos:
 
     
 
Home    Artigos    Empresa Promoçoes    Catalogo    Contato
 Políticas da Empresa    Manuais Cadastro    Loja   
 
 
 
 
  NÃO ENCONTROU O PRODUTO QUE PROCURAVA? FAÇA UMA BUSCA EM NOSSO CATALOGO. CASO NÃO ENCONTRE, CLIQUE AQUI.
 
 
 


  * Muito Raras
  Acer / Maple
  Aquaticas
  Arbustos
  Árvores
  Bambú
  Bonsai
  Cogumelos
  Coniferas
  Ervas
  Ervas Orientais
  Especiais para brotos
  Eucaliptos
  Ferramentas
  Frutíferas
       #  Berry (Cerejas)
       #  Melões e Melancias
       #  Passiflora (Maracujás)
  Gigantes da Natureza
  Gramineas e Rasteiras
  Grãos
  Kits para germinação
  Livros
  Medicinal
  Mudas, Bulbos e Rizomas
  Outras Espécies
  Palmeiras
  Pet Ervas - Alimentação animal
  Substratos e Hormônios
  Suculentas e Cactaceas
  Trepadeira
  Tropicais
  Vegetais
       #  Alcachofras
       #  Beringelas
       #  Beterrabas
       #  Cebolas
       #  Cenouras
       #  Couver Flor e Brócolis
       #  Milhos
       #  Mini Vegetais
       #  Pimentas e Pimentões
       #  Rabanetes
       #  Tomates
       #  Vegetais Gigantes
       #  Vegetais Heirloom
 

SEMENTE(S) DE NELUMBO NUCIFERA - ROSEUM PLENUM
SEMENTE(S) DE LOTUS ROSEUM PLENUM

 



No Egito Antigo existiam duas espécies nativas de lótus: o lótus branco (Nymphaea lotus) e a espécie azul (Nymphaea cerulea). A terceira espécie, o lótus rosa (Nelumbo mucifea) veio da Pérsia e cultivada no Egito durante o último período. Estas três espécies aparecem retratadas na arte egípcia. O lótus rosado apareceu especificamente na arte helenística enquanto que o lótus azul, considerado sagrado pelos egípcios, é o que aparece nos hieróglifos.

O lótus ou nenúfar era sagrado para os deuses solares, pois ao nascer, esta planta se volta para o leste como se tivesse prestando honras ao sol nascente. Na arte era utilizado como símbolo do Baixo-Egito e era retratado com suas folhas entrelaçadas com papiros (símbolo do Alto-Egito) simbolizando a unificação de ambas as terras.

O lótus se fecha ao anoitecer e submerge na água. Ao amanhecer emerge e floresce novamente. A flor se converteu no símbolo natural do sol e da criação. Em Hermópolis acreditava-se que existia um lótus gigantesco que emergia das "águas primordiais de Nun" do qual logo aparecia no meio de suas folhas, o deus solar.

Como um símbolo que evoca o "renascimento" era associado a lenda da morte e ressurreição de Osíris. Os quatro filhos de Hórus aparecem sobre o lótus e de frente para Osíris. No Livro dos Mortos o lótus é mencionado com uma citação: "Transforma a ti mesmo num lótus e terás a promessa de ressurreição"

Arnaldo Poesia

clique na imagem para ampliar

Quantidade: